sábado, 11 de Setembro de 2010

A resistência fronte ao genocídio


Nom é nova a perseguiçom sobre o idioma da Galiza. Desde finais do século XV, os embates sufridos polo nosso idioma fôrom-se concatenando até os nosos dias. Várias etapas tem tido, em terminologia medieval aplicada ao nosso caso -e tam de actualidade-, o processo de 'doma y castracion de Galizia', Nebrija, dixit.

Nesta linha, e referido ao popularmente conhecido como 'Decretaço', pode-se ler no portal informativo galego em linha Galiza Livre, num texto intitulado "o professorado que desafie o 'Decreto de Plurilingüismo' será denunciado por organizaçons de ultra-direita" o que segue:

Redacçom / Galicia Bilingüe e a Asociación Nacional por la Libertad Lingüística (ANLL) continuam a pressionar para que o espanhol se assente definitivamente nas escolas do País. Segundo declarárom recentemente, estám a preparar umha ofensiva jurídica contra todas as mestras e mestres que se neguem a impartir na língua do Reino de Espanha as aulas assim estipuladas polo decreto do governo de Feijoo. Esta será umha das muitas medidas que se executarám para pressionar à comunidade docente conscienciada da importáncia do galego na escola, somada ao forte seguimento administrativo que só velará pola presença do espanhol.



ANLL e Galicia Bilingüe

A ANLL, presidido por Pablo Yáñez, é um novo agente no mapa da luita contra a normalizaçom do idioma da Galiza. O colectivo, que até o de agora estivera activo sobretodo nos Países Cataláns, declarou que levará “aos tribunais a quem nom respeite as horas de espanhol” nas aulas, qualificando de “insuficiente” a reduçom das horas em galego.

Segundo declaraçons de Gloria Lago, presidenta de Galicia Bilingüe, a sua organizaçom luitará “contra o adoutrinamento nacionalista no ensino”, fazendo um seguimento do decreto por eles impulsionado. O colectivo muta para procurar novos financiamentos, convertendo-se em “fundaçom” e sendo reconhecida como entidade de “utilidade pública”. Estas novas vias encheriam o vazio económico que deixárom algumhas deputaçons do PP que diminuírom as suas ajudas, vendo na aliança com Galicia Bilingüe umha arma que lhe poderia retirar muitos votos.

seguir lendo nova em Galiza Livre

sexta-feira, 26 de Fevereiro de 2010

Éxito nas Jornadas de História

Como sabedes, o passado dia 13 e 14 de fevereiro desenvolvemos na nossa bisbarra umhas Jornadas de História. A cabalo entre Noia e Boiro, a Escola Popular Galega (EPG), junto à sociedade cultural Roi Soga de Lobeira e o Centro Social Aturuxo, respectivamente, organizamos com vários ponentes diversas mesas a travês das que se recreou e analisou parte do passado do nosso país. Aqui tedes várias instantâneas e um pequeno clip de vídeo do remate dum dos seminários incentivados pola Escola Popular por todo o país;nomeadamente apresentamos o final da intervençom do veterano soberanista Luís Gonçales Blasco, 'Foz'.


video

domingo, 31 de Janeiro de 2010

Formaçom em marcha


Desde o passado Día da Pátria a recém nada Escola Popular Galega (EPG) vém desenvolvendo diversas actividades. Adicada fundamentalmente a formaçom, a EPG já artelhou seminários de História, Socio-lingüística ou feminismo.

Tal e como indicavam responsáves da entidade o projecto nasce como resposta ao ensino tradicional, ao serviço de interesses alheios que favorecérom o desmantelamento e abandono do ensino público.

Assim, o projecto educativo escolar galego "...quer ser um instrumento à disposiçom da comunidade nacional galega para exercermos a soberania educativa a partir dum ensino solidário e crítico", para além de nosso.

A EPG conta cumha Sede Nacional cheia de História. Em pleno casco velho da cidade de Vigo, nomeadamente na Rua Real, número 12, fica a devandita sé no obradoiro no que se imprimiu Cantares Gallegos de Rosalia de Castro no ano 1863. Aliás, poderás achar em rede o projecto, no site http://agal-gz.org/blogues/index.php/EPG/

Entre as vindeiras actividades que a EPG tem previsto celebrar fica a Introduçom ao género e dous seminários intenssivos sobre História Medieval e Contemporánea da Galiza. O primeiro desenvolverá-se em Vigo o sábado 6 de fevereiro e os segundos a cabalo entre a Ria de Muros-Noia e o Barbança. Estes últimos terán acolhida concretamente o sábado 13 e o domingo 14 na Casa de Cultura de Noia e o C.S. Aturuxo de Boiro, respectivamente.

A participaçom é de balde.

Achega-te e verás!

segunda-feira, 14 de Dezembro de 2009

I Torneio de futebol sala mixto em defesa das selecçons nacionais


A cruçada da direita espanhola na Galiza nom só atinge à língua, cultura ou à própria economía do País; também ao desenvolvimento das nossas potencialidades no eido deportivo e nom só. Como medida "anti-crise" este ano o governo do PP nom patrocinará o jogo das selecçons nacionais, tendo en conta que o que suponhem nom é o "gasto corrente" de patrocinar um ou vários jogos, mais a motivaçom de tantas e tantos bos desportistas para alcançar a representar o seu País e continuar a trabalhar com a oportunidade de aceder ao deporte profisional.

Desde a organizaçom juvenil Galiza Nova chega a proposta dum torneio de futebol sala mixto com o fim de denunciar a castraçom à que se está a someter o desporto galego, mais a vontade da naçom de participar em competiçons oficiais. O torneio será o vindouro 28 de dezembro no "pavillón municipal Rosalía de Castro de Noia" a partires das 10 da manhá.

Podes anotar-te chamando ao telefone: 645150910 ou a travês do correo-e: campionatogzn@gmail.com, abertas as inscriçons até o 22 de dezembro, o custe é de 15euros.

Amais de deporte e muita diverssom, compartiram-se uns petiscos e umha série de trofeios para as equipas. Anota-te e goça!

segunda-feira, 20 de Julho de 2009

A cruzada contra o nosso idioma



No último ano acentuou-se a 'cruzada' contra a nossa língua própria. Se bem é esta umha realidade que arranca desde a Idade Média, o certo é que após o franquismo estamos a viver umha nova onda de ódio e ataque sistematizado contra o nosso idioma.

Este vindeiro joves/quinta organizamos um acto em relaçom a esta temática.
Desenvolverá-se a partir das 20.15 horas na Casa da Cultura 'Avilés de Taramancos' de Noia.

Nom faltes, agardamos-te!

sexta-feira, 17 de Julho de 2009

Dia da Pátria: em Movimento por umha Terra Livre e o Socialismo!


O Dia da Pátria desde a História
O nacionalismo galego nucleado arredor das Irmandades da Fala (1916-1931) fixou, nos anos vinte do passado século, a data na que hoje celebramos o nosso dia grande: o 25 de julho.

O denominado num início Dia de Galiza e, ao pouco, Dia da Pátria, estivo centrado desde primeiras horas na reclamaçom para o país de um status de soberania usurpado no marco de um processo histórico.

As velhas e velhos patriotas de inícios do século XX denunciavam, pedagogicamente, como se tratava de recuperar umha independência eclepsida polo imperialismo castelhano (transformado co tempo em imperialismo espanhol).

Aqueles activistas davam conta de como a finais da Idade Média o expansionismo castehano-aragonês dera coa queda de umha Galiza livre, normalizada, trás a sistemática perseguiçom da nossa estrutura social, política e económica, liquidando a aristocrácia galega e submetendo ao nosso povo a interesses foráneos. Explicitavam aqueles como desde aquela altura se introduciram os preconceitos -que gerárom um colectivo complexo de inferioridade- em relaçom ao próprio, destacando os clixés xenófobos sobre o nosso idioma. Estes últimos chegam até os nossos dias.

Na actualidade
Após cinco séculos de domínio espanhol sobre a nossa Terra, após cinco séculos de colonizaçom, o certo é que seguimos a 'ser' e a 'estar'. O facto de que estejamos a viver umha nova sacudida, umha nova onda espanholista deriva em grande medida disto. E é que o espanholismo fica frustrado, mália sua força no nosso país, por nom dar concluido com suceso o seu programa.

Como bem afirmara Daniel Castelao no Sempre em Galiza [em referência aos espanhois] :

Sodes uns imperialistas fracassados!

Com a nossa acçom diária, com o nosso compromisso subscrevemos as palavras e sentir do de Rianjo. Reafirmamo-nos na loita contra aqueles e aquelas que querem fazer do nosso país 'umha verdadeira colónia da Corte', como denunciavam os insurrectos que no 1846, nomeadamente Antolim Faraldo, propiciavam um heróico movimento patriótico e progressista armado.

Igual que aqueles e tantas outras, orgulhosamente trabalhamos por umha Pátria Livre e chamamos a todas as nossas convizinhas e convizinhos a que participem dos actos ligados ao Día da Pátria.

Neste senso, desde a nossa Sociedade Cultural organizamos o vindeiro dia 23 umha série de actividades que em breve publicitaremos neste nosso e vosso sítio electrónico.

Agardamos-te em Movimento por umha Terra Livre e o Socialismo!


segunda-feira, 30 de Março de 2009

CONTA ATRÁS


Anunciavamos hai tempo que mudavamos de emprazamento físico no que desenvolver as nossas actividades. Atendia esta determinaçom à necesidade de procurar um espaço que resultase máis cercano, confortável e, em definitiva, óptimo para o nosso labor.

Hoje podemos afirmar que em breve estará disponível a nova ubicaçom na que poderás volver desfrutar das aulas de formaçom que estavamos a ofertar, assi como seminários, conferências, roteiros polo monte... para sócias/os e nom asociadas/os organizadas desde o C.S. Roi Soga de Lobeira.

En breve apresentaremos a nossa programaçom de primavera, na que combinaremos a formaçom com o lazer e o desfrute do nosso entorno natural.

Manteremos-te informada/o...